2020: o ano em que a saúde foi prioridade

Pandemia serviu de alerta para os cuidados na prevenção de doenças

Pandemia do coronavírus evidenciou a importância dos cuidados com a saúde. Internet/Reprodução

Há 30 anos trabalho para promover o conceito de que prevenção é saúde. Ao lado de uma alimentação equilibrada, controle de peso, sono reparador e prática de exercícios físicos, fazer exames de rotina e interpretar os sinais enviados pelo corpo é uma das mais poderosas e eficientes formas de cuidado consigo mesmo e, por consequência, com aqueles que amamos.

Há décadas afirmo que um estilo de vida saudável afasta o risco de doenças crônicas. A alimentação equilibrada retarda o envelhecimento e melhora o humor; a prática de exercícios fortalece a imunidade, auxilia no controle do estresse e do peso, o sono reparador repõe as energias necessárias ao corpo e melhora o bem-estar geral e os check-ups médicos periódicos contribuem na correção de eventuais fatores de risco para a saúde quando dos exames preventivos. Estudo publicado pela Associação Médica Americana mostrou que esses hábitos, adotados em conjunto, respondem por uma redução de 80% no risco de desenvolvimento das doenças crônicas mais comuns.

Inesperadamente, todos estes ensinamentos foram repetidos como mantras em 2020. Se a pandemia de Covid-19 atingiu a todos, não há dúvida que foi mais grave para aqueles que sofriam de alguma comorbidade. Pesquisa da Fiocruz recém-divulgada estima que um em cada três brasileiros adultos, ou seja, cerca de 50 milhões de pessoas, tem ao menos um dos cinco fatores de risco que podem agravar a Covid-19: diabetes, hipertensão, doenças pulmonares, cardíacas, ou são idosos. Se o vírus é o fósforo, a pólvora é a doença crônica.

Para 2021 temos a expectativa de uma vacina que detenha a transmissão do vírus. Porém, volto a afirmar que para muitas outras doenças temos uma “vacina natural”: um estilo de vida saudável. Ele melhora a imunidade, sem dor, sem efeito colateral, na dose certa, é democrático e pode ser praticado por qualquer pessoa.

O início de um novo ano é sempre tempo de renovação de esperanças e, por que não, de hábitos. Que os percalços de 2020 sirvam como um convite: que cada leitor que faça de 2021 o ano em que a prevenção na saúde continuará sendo prioridade.

Feliz Natal, com saúde!

Gilberto Ururahy é médico há 40 anos, com longa atuação em Medicina Preventiva. É diretor da MedRio Check-up, líder brasileira em check-up médico. É detentor da Medalha da Academia Nacional de Medicina da França e autor de três livros: “Como se tornar um bom estressado” (Editora Salamandra), “O cérebro emocional” (Editora Rocco) e “Emoções e saúde” (Editora Rocco).

    agende

    Veja também

    CADASTRE-SE E RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS