Atividade física: vacina para todos os males e para todos os bens

Especialista em medicina esportiva alerta para aumento do sedentarismo em tempos de pandemia

A Covid-19 mudou a rotina das pessoas. Durante a crise sanitária, executivos adotaram o trabalho em home office e passaram a permanecer sentados por muitas horas diárias, renunciando à prática do exercício físico para evitar a aglomeração nas ruas e academias. Por conta disso, notou-se o aumento de doenças crônicas relacionadas ao sedentarismo, à alimentação inadequada e à ausência de exames preventivos. A discussão foi tema do 13° Encontro com a Prevenção, realizado na sede de Botafogo da Med-Rio Check-up, na noite do último dia 13. 

   Dr. Claudio Gil Araújo, um dos mais experientes especialistas em medicina desportiva do Brasil, com pós-doutorado na McMaster University – Canadá, foi o convidado do encontro que dá sequência à série de palestras promovidas pela clínica especializada em prevenção. Desta vez, o palestrante fez uma apresentação on-line. Em sua fala, o médico alertou que a redução da atividade física provocou uma pandemia de insuficiência de aptidão física.

— A medicina desportiva, assim como qualquer outra especialidade, precisou se reinventar na pandemia, com os exercícios físicos sendo realizados à distância. A insuficiência física é grave e associada a altos níveis de mortalidade. Quanto menos tempo sentado e mais exercícios de alta intensidade o indivíduo realizar, mais qualidade de vida ele terá — advertiu Dr. Claudio Gil Araújo, diretor da Clínica de Medicina do Exercício (Clinimex).

   O especialista ressaltou ainda que o problema é a falta de atividade física, e que o cérebro é mobilizado por exercícios de alta intensidade, como a corrida. Segundo o médico, pouco se fala em medicina preventiva, estresse e tabagismo, e a medicina trabalha mais com a prescrição de medicamentos. 

   — Temos uma medicina voltada para o uso de medicamentos e pouco se fala em prevenção. O exercício regular é importante, mas a aptidão física é o objetivo final em busca da melhor qualidade de vida. Quanto mais aptidão aeróbica e exercício de alto impacto a pessoa tiver, menores são as chances de mortalidade — explicou.

   De acordo com Dr. Claudio Gil Araújo, um indivíduo aparentemente saudável, mas sem exercício físico, se assemelha a um caso de câncer de cólon.

   O diretor da Med-Rio Check-up, Dr. Gilberto Ururahy, reiterou o discurso do especialista, ao citar que a clínica observa o aumento do número de casos de pessoas sedentárias: — Ainda identificamos em nossas unidades 60% de pacientes sedentários, bem como o aumento de casos de obesidade, diabetes, hipertensão arterial, baixa imunidade, redução da libido, além dos transtornos mentais como altos níveis de estresse, ansiedade, pânico, burnout e depressão. Além das doenças crônicas, o câncer cresce percentualmente em população mais jovem. 

   Em nossos check-ups, temos feito diagnósticos de várias sequelas pós-Covid-19. Em todas as condições de saúde acima citadas, a atividade física regular contribui muito para a prevenção e bem-estar gerando longevidade com autonomia. Saúde é prevenção. Faça o seu check-up médico. 

    agende

    Veja também

    CADASTRE-SE E RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS