ESG e o check-up médico

Social, meio ambiente e governança dominam a atenção das empresas atentas ao século 21

 

Empresas 100% digitais e com tratamento de resíduos sólidos: compromisso com meio ambiente coloca as corporações alinhadas com as boas práticas ESG. Evanto Elements/Reprodução

 

Uma nova sigla tomou conta das empresas: é a ESG (Environmental, Social e Corporate Governance). Em português, pode ser traduzida como as boas práticas ambientais, sociais e de governança corporativa. E por que as empresas estão de olho na ESG? Porque seguir seus preceitos atesta que as corporações tão conscientes e antenadas com as preocupações que norteiam a agenda do século 21.

Para se denominar ESG, as organizações precisam abraçar as causas que regem a sigla. Na esfera ambiental, isso significa estar atento às agressões ao meio ambiente, ao uso racional de recursos e evitar poluição. No escopo da área social, as corporações devem estar atentas às suas responsabilidades com os clientes, ao impacto na sociedade aos direitos dos colaboradores. E, finalmente, no que compete à governança, cabe à empresa dedicar-se aos direitos éticos, à gestão de riscos, à transparência fiscal e às práticas anticorrupção.

Hoje, a ESG é uma realidade em diversos mercados, inclusive na área de saúde. Mas o que temos feito, na prática, para ser ESG?

Hoje, nossas clínicas são 100% digitais. Abolimos o papel, assim, não agredimos o meio ambiente, preservando árvores. No mesmo sentido, tratamos a partir de coletas terceirizadas, os resíduos sólidos. No que tange ao social, divulgamos através de livros, artigos, lives e entrevistas, todas as experiências acumuladas em nossas clínicas ao longo de 30 anos, a fim de informar à sociedade, da importância da manutenção de hábitos de vida saudáveis. Sabemos que 73% das mortes que ocorrem mundialmente, têm relação com estilo de vida pouco saudável empreendido pela população (Stanford). A busca para o “Educar para a Saúde” é uma de nossas bandeiras no cotidiano. As ações voltadas e emanadas das clínicas contribuem para a redução do custo-saúde para a sociedade.

Nossos médicos são certificados pelo Colégio Americano da Medicina do Estilo de Vida e, em permanência, transmitem seus conhecimentos, voltados para a prevenção para a sociedade, de um modo geral.

Nossos colaboradores, em cada área de atuação, têm seus manuais de operação (sempre atualizados), são treinados por consultores externos, têm seus planos de carreira bem definidos, trabalham com todo conforto e, todos atuam de forma coerente na política de diversidade que adotamos.

Quanto à governança corporativa, em 2016, a MedRio Check-up foi a primeira clínica do mercado a desenvolver seu “Código de Conduta”, em parceria com todos os colaboradores, é nosso guia do cotidiano. Ética e transparência são atributos praticados por todos os nossos integrantes.

O tema é vasto e a base do Código de Conduta é o berço de cada um. Tema de suma importância para a sustentabilidade das empresas, “Código de Conduta” deveria integrar todas as grades de nosso ensino superior.

Atendendo ao Código de Conduta, em 2018, iniciamos ações internas para adequar nossos colaboradores no trato de informações e dados sensíveis de nossos clientes. Hoje, todos foram treinados e certificados para a aplicação correta da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), no que tange a dados sensíveis de titulares da informação. E, finalmente, sob orientação de consultor externo, realizamos grande adequação das clínicas à Segurança Cibernética.

Todos os contratos que hoje assinamos com diversas empresas – clientes possuem cláusulas ricas em “Código de Conduta”, “LGPD” e “ESG”. Mais do que solicitar esses quesitos em cláusulas contratuais, para segurança da prestação dos serviços, cada item acima, deveria ser evidenciado para quem contrata.

A transparência é tranquilizadora.

Gilberto Ururahy é médico há 40 anos, com longa atuação em Medicina Preventiva. Em 1990, criou a MedRio Check-up, líder brasileira em check up médico. É detentor da Medalha da Academia Nacional de Medicina da França e autor de três livros: “Como se tornar um bom estressado” (Editora Salamandra), “O cérebro emocional” (Editora Rocco) e “Emoções e saúde” (Editora Rocco).

 

    agende

    Veja também

    CADASTRE-SE E RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS